Resistência ao Governo Civil de Henry David Thoreau 1849

Henry David Thoreau nascido na Nova Inglaterra, não trazia qualquer marca que o identificasse como agitador social ou radical. Apesar disso, foi o autor de uma dos manifestos mais revolucionários da historia americana.

Sua obra mais importante à literatura de crítica social é a RESISTÊNCIA AO GOVERNO CIVIL, mais tarde publicado como DESOBEDIÊNCIA CIVIL.

Thoreau foi preso em Massachusetts em 1843 por se negar a pagar um imposto per capita e usou a prisão como meio para protestar contra o apoio do Estado à escravidão.  Por que razão, perguntava se, deveria ele ser obrigado a dar apoio financeiro a um governo responsável por tanta injustiça e estupidez? Eis aqui a origem da doutrina da desobediência civil. Thoreau achou que chegara a época de examinar a natureza do Estado e do governo. Qual deveria ser a relação do individuo para com o Estado e do Estado para com o indivíduo?

O Governo é, na melhor das hipóteses, apenas uma conveniência  mas a maioria dos governos são  as vezes, inconvenientes. As objeções que tem sido levantadas contra a existência de um exército permanente – e elas são muitas e ponderáveis e devem prevalecer – podem ser levantadas contra um governo permanente.

Em essência  a premissa fundamental de Thoreau na DESOBEDIÊNCIA CIVIL é que o Estado existe para os indivíduos e não o contrario. A minoria não deve ceder à maioria, se os princípios morais tiverem de ser postergados para isso. Alem do mais, o Estado nao tem o direito de ofender a liberdade moral, obrigando o cidadão a apoiar injustiças. A consciência do homem deve ser sempre seu guia espiritual supremo. O que ele se recusa a fazer é pagar os impostos gerais que sustentam a guerra e a escravidão  Quanto a esses:

“Nunca me recusei a pagar impostos para as estradas ou as escolas, porque tenho tanta vontade de ser bom vizinho quanto tenho de ser mau súdito mas eu desejo simplesmente recusar obediência ao Estado, retirar me e manter-me afastado dele(…) Descobrir que o Estado era imbecil, medroso como uma mulher sozinha com receio de que roubem as pratas, e que não saiba distinguir os amigos dos inimigos, por isso perdi o resto do respeito que ainda sentia e tive pena dele. O Estado jamais enfrenta intencionalmente o senso moral ou intelectual do homem, mas somente seu corpo, seus sentidos. Sua superioridade não está no espirito ou na honestidade, mas na força física. Não nasci para ser oprimido. Quero viver à minha maneira.”

Em 1907, um exemplar da DESOBEDIÊNCIA CIVIL foi parar nas mãos de um advogado hindu na Africa do Sul, Mohandas Karamchand Gandhi. Usando da premissa da resistência pacifica, Gandhi usou a Africa do Sul como laboratório para o desenvolvimento de uma nova arma – a arma da resistência passiva na luta de um punhado de indus contra o poderio do império britânico e o governo da Africa do Sul. Mais tarde a mesma arma foi usada na Índia numa campanha que terminou em 1947 quando a Índia e o Paquistão conseguiram libertar-se da Inglaterra.

Fonte

DOWNS, Robert B. em Fundamentos do pensamento Moderno.1969.

THOREAU, Henry David em Desobediência Civil. 2012

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s